quarta-feira, 12 de novembro de 2008

DEUS DO FOGO : AGNI

AGNIO Deus do Fogo. É ele quem está por trás dos sacrifícios hindus e quem transforma as oferendas dos homens em substância comestível para os deuses celebrados (o Hermes grego). Conforme os estudiosos “. . . é por meio do sacrifício que o homem estabelece uma relação de louvor, de pedido ou de agradecimentos às divindades”. Nas suas representações esse deus-mensageiro mistura a aparência de homem com a imagem do fogo e dos sacrifícios. Seus dois rostos são sempre lambuzados com manteiga (outro elemento ritual) e suas sete línguas são de fogo e seus dentes são de ouro. Seu corpo é vermelho e dele emanam vários raios de luzes. Nos sacrifícios hindus, a direção para a qual se acende o fogo tem relação direta com o objetivo da cerimônia. Assim:
01) Para o Leste: quando é oferecida aos deuses.
02) Pra o Sul: para louvar os espíritos dos mortos.
A libertação espiritual é a principal meta na vida dos hindus que geralmente contam com AGNI, o deus que faz a ligação entre o Céu e a Terra, para alcançá-la. Como mensageiro, ele têm em suas mãos os poderes de dar aos humanos a imortalidade e de remover os seus pecados (o fogo purificador). Por ser uma manifestação do SER SUPREMO – BRAHMAN*, pode-se dizer que o fogo de AGNI não está apenas nos altares dos sacrifícios ou nas chamas em que os alimentos são cozidos, mas também está dentro de cada ser humano. Conforme os eruditos, AGNI é o nosso “fogo interior”. Além de ser requisitado nos altares, AGNI também é lembrado nos lares. No ritual domestico AGNIHOTRA*
, todo pai de família das CASTAS* superiores acende uma chama girando um graveto numa tábua, pois segundo a tradição, é esta a origem do deus do fogo, já que AGNI é considerado filho de dez mães irmãs, simbolizadas pelos dez dedos das mãos do homem que acende a chama. Conforme o costume, os chefes de família devem manter as labaredas acesas em suas casas por toda a vida, alimentando-as duas vezes ao dia: antes do nascer do Sol e antes da aparição da primeira estrela. Existe ainda o rito que consiste em venerar o fogo que prepara as refeições. Neste último, o lugar é limpo, é feita uma adoração a AGNI e só depois é que o fogo é aceso para cozinhar os alimentos. Isto feito, o costume manda que se jogue um punhado da comida nas labaredas como oferenda ao deus. Dente os rituais, também merece menção aquele que é chamado de HOMA*, onde se queima o GHEE* para purificar o ambiente. Os VEDAS* têm um capitulo inteiro que descreve as práticas com o fogo. Atualmente, os sacrifícios estão restritos a ocasiões especiais, como a abertura de novos templos hindus, dentre outras celebrações.
(Fonte de pesquisa :Deusas e Deuses do Hinduísmo -Fabio Renato Villela)

Um comentário:

Obrigada pela sua participação e não esqueça doe sorriso,não custa nada...Namaska.